Colômbia, Venezuela e Equador em pé de guerra

 

Hugo Chavez

Hugo Chávez – Presidente da Venezuela

A Colômbia invadiu território equatoriano sem pedir licença, foi lá e liquidou um batalhão das Farc, matando o número dois na hierarquia das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, Raúl Reyes. Estrapolou seus limites e com isso criou uma situação delicada de risco de guerra na América do Sul. Hugo Chávez, não deixou por menos e mesmo a invasão não sendo em seu território, enviou tropas militares, aviões e elicopteros de guerra para a fronteira e avisou que se acontecer isso na Venezuela não vai ficar por isso mesmo e deu todo apoio ao Equador.

“O governo do Equador decidiu romper relações diplomáticas com o governo da Colômbia a partir desta data”, disse uma carta enviada pelo Ministério das Relações Exteriores do Equador a Bogotá.

Venezuela, Colômbia e Equador

Presidente da Colômbia: Álvaro Uribe

Presidente do Equador: Rafael Correa

Presidente da Venezuela: Hugo Chávez

O Equador também já enviou tropas para a fronteira e isso criou uma tensão muito grande de uma guerra. O Brasil já se manifestou pela paz na região e foi marcada uma reunião de emergência na OEA (Organização dos Estados Americanos).

para encontrar uma solução pacífica sem ser preciso partir para briga.

“Diante de uma sucessão de fatos inamistosos e de acordo com o estabelecido pela Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas em 1961, o governo do Equador decidiu romper relações diplomáticas com o governo da Colômbia, a partir desta data”, informa uma carta de Quito entregue à agência France Presse em Bogotá.

O presidente Hugo Chávez anunciou hoje a expulsão do embaixador colombiano da Venezuela.

Fidel Castro declarou que já está escutando o toque das trombetas na América do Sul.

Nota oficial divulgada: “O governo equatoriano rechaça energicamente essas afirmações que, com cinismo, se somam à atitude hostil, manifestada na recente violação à soberania e integridade territoial do Equador. As infundadas acusações constituem um deliberado intento para desviar a atenção do fato da violação da soberania territorial equaotiriana tal como reconhecido pelo governo colombiano em comunicados e notas diplomáticas.”

Frente a esta sucessão de fatos e inamistosas imputações e, de conformidade com o estabelecido na Convenção de Viena sobre relações diplomáticas de 1961, o governo do Equador decidiu romper relações diplomáticas com o governo da Colômbia, a partir de hoje.

Compartilhe no Facebook

Curta no Facebook:

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *